sábado, 25 de abril de 2009

25 DE ABRIL DE 1974


Capa do jornal A Capital do dia 25 de Abril de 1974



Capa do Diário de Notícias do dia 25 de Abril de 1974





Comunicado do MFA do dia 25 de Abril de 1974 às 22:00h

Para conhecimento de toda a população informa-se que se encontram sanados os incidentes ocorridos com a Polícia de Segurança Pública e que, a partir deste momento, ela aderiu totalmente ao Movimento.
Assim, com a finalidade de manter a ordem e salvaguardar as vidas e os bens, pede-se a todos que aceitem, obediente e prontamente, quaisquer indicações que lhes sejam transmitidas por elementos daquela corporação ou da Polícia Militar. Igualmente deverão ser obedecidos os agentes das Brigadas de Trânsito. Torna-se indispensável que a população continue a manifestar a sua compreensão e civismo. E a melhor forma de o fazer no momento é manter-se calmamente nas suas residências.



Portugal, Lisboa. Revolução de 25 de Abril de 1974






Portugal. Proclamação da Junta de Salvação Nacional



GOLDFINGER

5 comentários:

Maria disse...

Foi um dia inesquecível para quem o viveu...
Liberdade, que te quero bem!

Um beijinho e um cravo Vermelho para ti, Goldfinger

elvira carvalho disse...

Longe na altura não vivi nada da alegria de que falam, antes outras preocupações.
Não concebo uma vida feliz sem Liberdade, e sei bem como era antes do 25 de Abril.
Mas Liberdade sem pão, também não faz ninguém feliz e vejo como vive grande parte do país.
Penso que os objectivos do 25 de Abril, ficaram só pela metade, e mesmo essa metade, vejo-a cada dia mais ameaçada, pelos falsos democratas que nos governam.
Um abraço e bom fim de semana

São disse...

Meu amigo, venho desejar-te um Abril de força e sonhos cumpridos, junto aos teus.
O meu abraço fraterno.

Isamar disse...

Um dia inesquecível. Saltei para a rua, embora o perigo rondasse. Sem medo gritei pela Liberdade que vinha chegando da madrugada.Comigo muitos milhares andaram pelas ruas da baixa pombalina.

Deixo-te mil jinhos embrulhados em rubros cravos de Abril.

Bem-hajas!

gaivota disse...

era abril, era a baixa de lisboa, era a casa onde viviam os meus sogros, bairro alto, pertinho do largo do carmo, da república, do grande movimento das armas com cravos vermelhos na ponta!
era o bairro de alvalade, da minha meninice lisboeta...
era! onde estão esses cravos, pergunto eu???
beijinhos para ti, antónio, num grito de liberdade, sempre!