domingo, 26 de abril de 2009

DEPOIS DA ILUSÃO A REALIDADE!


“Depois das comemorações do 25 de Abril, voltamos à realidade que nos impõem. Os tempos são outros e difíceis mas é importante não perder a esperança”.




Novos comportamentos de consumo em tempos de crise

Em tempos de crise a alimentação, saúde, e lazer, são as despesas mais sacrificadas pelas famílias europeias.

Face à crise instalada, os consumidores europeus são obrigados a fazer escolhas e sacrifícios no momento de ir às compras. Esta realidade explica a transformação dos hábitos de consumo dos europeus, onde prevalece a procura de novas estratégias que permitam uma melhor rentabilização dos orçamentos familiares. Na Europa, em média, é a alimentação que ocupa o primeiro lugar das despesas que obrigam a alguns sacrifícios, seguindo-se a saúde e, por fim, o lazer. Segundo os resultados do Observador Cetelem, 21% dos europeus afirmam que em caso de aumento do poder de compra privilegiariam a qualidade da alimentação.

Em contrapartida, e num cenário de diminuição do poder de compra, 24% dos euro-consumidores admitem reduzir as suas despesas com tabaco e bebidas alcoólicas. Factos que são tanto mais fáceis de entender à medida que se multiplicam as campanhas de promoção para uma alimentação mais saudável e equilibrada.

A nível da saúde, existe um conjunto de cuidados que as famílias europeias tendem a prescindir em tempos de crise: tratamentos dentários ou oftalmológicos são relegados para um segundo plano. O lazer é a única despesa que apresenta uma dupla faceta, já que os consumidores apenas aceitam sacrificar-se quando o poder de compra é mais limitado.

O “Barómetro Europeu” apresenta a análise de dados recolhidos em 13 países: Portugal, Espanha, França, Bélgica, Alemanha, Reino Unido, República, Checa, Eslováquia, Hungria, Sérvia, Polónia e Rússia. As análises e previsões foram efectuadas em Dezembro de 2008 em colaboração com a sociedade de estudos e de consultadoria BIPE (www.bipe.com). Para a elaboração do estudo foram realizados inquéritos a mais de 10.000 europeus entrevistados em Dezembro de 2008.

MSN Notícias

Fotos da Net

GOLDFINGER

3 comentários:

Laura disse...

Olá meu querido amigo...Que virote? a vida vai avançando devagar, a cabeça embora não pareça, lá vai dando de si, os ouvidos, (só um) ouve muito bem, tudo, tudinho, mas, falta o entender as palavras, só isso...mas o tempo há-de ajudar..
É, por acaso nunca cantei ao 25 de Abril porque a minha vida era em Angola, no trabalho modesto filha de funcionário publico com ordenado também razoável, mas, tinha a vida planejada ali, as amizades, o amor, e foi tudo ao ar, por termos de sair dali depressa, não fossemos ficar lá...foi uma descolonização muito mal feita, muito mesmo, e deveriam fazer as coisas com calma, mas, o homem é um apressado...pode ter sido bom e acredito que sim pois também nunca gostei de ditaduras, mas, os efeitos de tanto esbanjamento vêem-se agora... e agora anda tudo de novo a apertar o cinto..eu que o diga,pena..
Um beijinho a si e muita felicidade, sempre..laura..

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO GOLD, BEM-VINDO AMIGO, JÁ TINHA SAUDADES TUAS... GOSTEI DA POSTAGEM...
UM GRANDE ABRAÇO DE GRANDE AMIZADE,
FERNANDINHA

amigona avó e a neta princesa disse...

O que nós aprendemos contigo, amigo!...Tenho tido saudades tuas...obrigada pelos beijinhos...um abraço de amizade...