terça-feira, 20 de outubro de 2009

DIA MUNDIAL DA OSTEOPOROSE




Dia Mundial da Osteoporose alerta para uma doença incapacitante

A Osteoporose é uma doença metabólica em que os ossos se vão tornando cada vez mais frágeis, conduzindo a um risco acrescido de fractura, em particular na anca, coluna vertebral e membros superiores.

As mulheres em situação de pós-menopáusicas são as que estão mais expostas à doença, mas também os homens são atingidos, à razão de três mulheres para cada homem.

A menopausa, a idade ou o historial familiar são razões para a doença, mas também uma alimentação deficiente, a falta de exercício, o consumo de álcool e de tabaco, bem como o baixo peso são apontados como causas para o seu desenvolvimento.

Os dados mais recentes dão conta da existência de cerca de 500 mil pessoas com Osteoporose, mas que apenas 200 mil doentes estão diagnosticados e a receber tratamento.

Os dados são da Direcção Geral de Saúde que adianta ainda que cerca de 9.500 portugueses sofrem anualmente fracturas na anca devido a esta doença e que entre 20 a 30 por cento dos doentes com fractura da anca morrem no ano seguinte à rotura e cerca de 40 por cento ficam com incapacidade grave.

Ainda segundo a Direcção Geral de Saúde esta doença e os tratamentos que são necessários custam ao Estado anualmente 52 milhões de euros em cuidados hospitalares.

Um estudo recente da Associação Nacional Contra a Osteoporose realçou que quase 40 por cento das mulheres portuguesas com mais de 45 anos diz ter Osteoporose, o que corresponderá a cerca de 895 mil pessoas, ou cerca de cerca de nove por cento da população portuguesa.

O mesmo estudo dá conta ainda de que um quarto das mulheres com mais de 45 anos assume que nunca consultou um médico para falar sobre a Osteoporose, apesar da esmagadora maioria (92,3 por cento) a considerar "uma doença incapacitante", e 24,6 por cento das mulheres com Osteoporose afirma não estar a fazer tratamento.

RTP Notícias








Quarenta e uma em cada cem mulheres sofrem ou sofrerão de Osteoporose, segundo um estudo que ontem apresentado em Lisboa. Hoje comemora-se o Dia Mundial da Osteoporose.

O estudo teve como base 9880 rastreios, realizados no ano passado, em todo o país, durante a campanha "Saúde Sobre Rodas", uma iniciativa que avaliou os riscos de Osteoporose e de Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Entre as mulheres observadas, 11% tinha osteoporose, 59% mostrou estar em estado considerado normal e os restantes casos (aproximadamente 30%) apresentaram sintomas de Osteopenia (diminuição da densidade mineral dos ossos, precursora da Osteoporose).

Nas mulheres com Osteoporose, 34% têm idades compreendidas entre os 66 e os 75 anos e 43% entre 56 e 65. Entre os homens observados, 11% sofriam de Osteoporose, 31% apresentavam Osteopenia e aos restantes 59% foi diagnosticado um estado normal.

A maioria dos casos de Osteoporose nos homens registou-se em indivíduos entre os 66 e os 75 anos (34%). Também nesta faixa se situou o maior número de casos de homens com Osteopenia (36%).

Fonte: Diário de Notícias
MNI-Médicos Na Internet

Fotos da Net

GOLDFINGER



6 comentários:

elvira carvalho disse...

Excelente post sobre algo que nos afecta a quase todos.
Um abraço

São disse...

Meu amigo, continuas oferecendo-nos temas bem importantes tal como este e também a obesidade.

Um abraço para vós.

Goldfinger disse...

Boa noite Elvira
Pois é verdade. Já no ano passado tinha feito por esta altura uma postagem sobre o assunto e este ano voltei a fazê-lo porque acho que é importante.
Espero que esteja bem.
Um abraço

António

Goldfinger disse...

Olá São

É verdade, são temas demasiado importantes para lhes passar-mos ao lado.
Um beijinho para ti.

António

gaivota disse...

é um assunto muito sério, estou com certo receio quanto a mim própria... está na hora de repetir exames (vários) e a tal densitómetria óssea, que faço anualmente há uns 10 anos, como fiz uma histerectomia, achei por bem começar "cedo" a fazer certos exames...
um bom alerta que aqui deixas, antónio
beijinhos

Goldfinger disse...

Gaivota

É matéria muito séria mesmo e há que tomar precauções. Cuida-te que a vida não está para brincadeiras.
Beijinhos
António