segunda-feira, 15 de Fevereiro de 2010

CIDADE DO PORTO COM NOVIDADE EM CARROS DE ALUGUER À HORA





A ideia é simples: não traga carro para o centro do Porto, porque a cidade tem um à espera de cada utilizador. A partir da última quarta-feira, 20 automóveis estão disponíveis em parques estrategicamente localizados, junto ao metro e paragens de autocarro, para serem alugados.

Esta solução de mobilidade urbana - apresentada a semana passada no Palácio do Freixo, no Porto - permite o aluguer de veículos à hora e arranca com uma frota estacionada em dez pontos chave da cidade, como os Aliados, zonas do Bom Sucesso e Bessa, próximo à estação de Campanhã, ou junto ao IPO, em Paranhos.

O aluguer é cobrado à hora, com preços que já incluem gasolina, manutenção e seguros. O utilizador paga em função do tempo e dos quilómetros percorridos.






Smart e Mercedes para alugar

O cliente que pretende alugar um Smart, entre as 8 e as 22 horas, sabe que pagará por hora 2,49 euros. Já utilizando o mesmo trajecto, a partir das 22 horas, o cliente vê reduzida a conta para os 99 cêntimos/hora. O serviço de aluguer disponibiliza ainda um Mercedes Classe A, com preços que variam entre os 3,49 euros (dia) e 1,99 euros (noite).

A adesão ao serviço pode ser feita através da Internet (www.citizenn.com) ou por telefone, e as reservas são aceites até cinco minutos antes do momento de utilização do carro.







"Depois do cliente ter a reserva confirmada, é enviado um cartão que servirá para abrir as portas do veículo. Basta para isso passá-lo junto à antena do automóvel. A chave normal do carro encontra-se dentro do porta-luvas, mas o condutor só poderá iniciar a condução depois de introduzir um código 'pin'", explicou, ao JN, Jorge Azevedo, responsável da empresa Citizenn, que introduziu o serviço na cidade do Porto em parceria com a Transdev.







Frota alargada no fim do ano

Segundo Jorge Azevedo, o sistema de 'car-sharing' no Porto "não pretende ser um concorrente ao táxi". Ainda que a filosofia do sistema privilegie "viagens curtas", a preocupação maior é ecológica", sublinha o responsável da Citizenn, enquanto garante que, "com a utilização de apenas um carro de aluguer, ao centro da cidade pode começar a entrar diariamente menos 12 pessoas que até aqui se deslocavam no seu próprio automóvel".

Da mesma forma, é pretensão das empresas responsáveis alargar a frota, até ao final do ano, a veículos eléctricos. "Precisamos para isso que passem a existir mais pontos de recarga", justificou o mesmo responsável.








Também está previsto que a operação de 'car-sharing' seja alargada, antes do fim do ano, à área do Grande Porto, numa primeira fase a Vila Nova de Gaia. "Depois poderá ser estudada a possibilidade da frota chegar a Matosinhos, Maia e Vila do Conde", concluiu Jorge Azevedo.

Jornal de Notícias

Foto do Jornal de Notícias e da Net

GOLDFINGER



1 comentário:

Cata- Vento disse...

Uma ideia interessante que , muito provavelmente, vai ter uma grande adesão. Eu gosto muito do Porto e sempre que lá vou faço, ida e volta, 1200km. Vou ponderar e talvez adira ao comboio na próxima vez.

Beijinhos

Bem-hajas!