domingo, 13 de dezembro de 2009

PORTUGUÊS QUER A OBRA NASCE





Somos um país que demos novos mundos ao mundo. Estamos habituados ao trabalho duro e ao sacrifício. O esforço e a capacidade de trabalho da maioria dos nossos compatriotas que lá fora trabalham, é constantemente reconhecida pelos diversos governos onde a sua actividade se faz sentir. Não é a primeira vez que descendentes dos nossos honrosos emigrantes atingem funções de chefia, quer em governos, quer em empresas internacionais.

No campo desportivo, os êxitos das nossas cores têm vindo a ser uma realidade e desde o futebol ao atletismo muitos são os que se sagraram campeões europeus ou mundiais nas suas modalidades.

Há no entanto modalidades em Portugal que pouca relevância têm e apenas alguns nelas acreditam, não só pela pouquíssima divulgação dessas modalidades como também pela reduzida adesão de praticantes, daí não se conhecerem assim tantos resultados internacionais. Serão porventura modalidades para as quais tenhamos pouca apetência e pouco ou nenhum incentivo desde os tempos de escola.

Lembro-me de há muitos anos, durante os anos da minha juventude, sair aos fins-de-semana com meus pais e um dos locais mais frequentados pela população de Lisboa era precisamente o jardim do Campo Grande onde existiam um ou dois ringues de patinagem e era uma maravilha ver dezenas de crianças que como eu por ali se divertiam, aprendendo a andar de patins, mesmo que fosse à custa de muitas quedas. Tudo isso deixou de ser uma tradição e creio, terá nos dias de hoje pouca afluência.

A patinagem artística, que julgo nunca deu grandes resultados a atletas portugueses, aparece agora nas bocas do mundo através de um título de campeão mundial conquistado por um atleta português.

Pouco divulgada e desde logo pouco apoiada pelas entidades governamentais, tem vivido pela carolice de alguns e essa coragem e essa força de vontade, acabou por dar os seus frutos.

HUGO CHAPOUTO, um futuro arquitecto, acaba de se sagrar campeão do mundo da modalidade, na cidade de Friburg na Alemanha mostrando a todos nós portugueses, que quando um português quer a obra nasce. Já tinha sido campeão europeu em Trieste (2008) e tinha obtido a medalha de prata nos mundiais da China – Taipé no mesmo ano.

Parabéns ao HUGO pelo esforço, pelo trabalho, pela dedicação, pelo acreditar e sobretudo pelo talento que demonstrou e que o levaram a ser o melhor entre os melhores do planeta.

2010, vai ser palco de um novo Mundial da modalidade, desta vez em Portugal na cidade de Portimão que acolherá o evento de 22 de Novembro a 6 de Dezembro. Há trinta e dois anos que um campeonato desta dimensão não se realizava no nosso país, tendo o último que por cá se realizou, tido lugar no Pavilhão Carlos Lopes em Lisboa.


PARABÉNS AO HUGO CHAPOUTO


Foto da Net











GOLDFINGER

3 comentários:

Brancamar disse...

Olá mano António,

Sempre atento aos valores portugueses e seus descendentes.
Sem dúvida um orgulho para nós.
Parabéns ao Hugo.
Beijinhos para ti.
Se não tiver oportunidade até lá deixo-te já os meus votos de Boas Festas e de muita saúde, paz e amor para ti e tua família.
Mais beijinhos.
Branca

Fatima disse...

António que boa noticia esta.
Também eu estou ligada a um desporto sem bola, e sei como são esquecidos. Os desportos e os atletas...
Parabéns ao Hugo.
Boa semana para vocês, que eu vou para aquele sítio mágico.....

Bjs

gaivota disse...

parabéns ao Hugo! isto de patins mexe muito comigo, como sabes, e a modalidade é lindíssima! para mim, além do hóquei patinado, viro-me logo para a patinagem artística, em pista ou em gelo, também
é preciso muita dedicação e trabalho para superar as tantas dificuldades que existem...
por isso, força Hugo, muitos parabéns!
fico muito orgulhosa com estas vitórias ds nossas gentes!
beijinhos
(um àparte, também andei pelo campo grande... morei na av.do brasil, estava sempre tudo à mão, alvalade!)