terça-feira, 13 de janeiro de 2009

ESTA DEIXOU-ME MUITO PENSATIVO



Alemão obeso é preso após matar mulher esmagada

A 7 de Fevereiro de 2007, um alemão obeso de 50 anos foi condenado a cinco anos de prisão no país por se ter sentado sobre a sua mulher e matá-la por esmagamento. A audiência de Hildesheim, no sudoeste da Alemanha, considerou o homem, cuja identidade não foi divulgada, culpado de graves lesões físicas com consequência de morte.


O acusado, que no momento do crime pesava 128 kg, reconheceu durante o processo que tinha tido uma forte discussão com sua mulher e que se sentou em cima dela quando ela estava caída no solo, embora tenha negado qualquer intenção homicida.

A mulher fracturou 18 costelas ao ser esmagada por seu marido e morreu em consequência dos graves ferimentos internos sofridos, poucas semanas depois, após uma dolorosa agonia, afirmaram os peritos que estudaram o caso.

O tribunal de Hildesheim atendeu com a sua sentença, à solicitação de pena feita pelos promotores públicos, enquanto a defesa, que indicou que o alemão tinha caído acidentalmente sobre a mulher, pedia uma pena menor e que o acusado pudesse obter liberdade condicional.

Um perito certificou, no entanto, que o marido precisou ficar no mínimo dois minutos sentado em cima da mulher, que pesava 63 kg, para causar lesões tão graves.

O juiz que presidiu a audiência, Ulrich Pohl, disse que o episódio foi causado pela péssima relação matrimonial, na qual o homem maltratava sistematicamente sua esposa.

Após ser esmagada pelo marido, a mulher demorou vários dias para ir ao hospital, onde foi diagnosticada apenas com fractura em três costelas e recebeu alta imediata.

O tribunal afirma que o médico que atendeu a mulher não fez um diagnóstico correcto, já que os peritos reconheceram nas imagens de raios X à primeira vista mais de uma dúzia de fracturas de costelas, pelo que ela deveria ter sido internada imediatamente.

"Foi uma agonia torturante que durou semanas", ressaltou Pohl na leitura da sentença.

http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI2351404-EI294,00.html

“Vários factores me saltam à vista.

Em primeiro lugar é complicado um homem obeso casar com uma mulher de 63 kg. Seria preciso gostar muito para isso acontecer, e penso que aqui nem era o caso, tais os maus-tratos que a “besta” oferecia à mulher. (A mim parecer-me-ia que estaria sempre a abraçar um “biblot”).

Em segundo lugar, mesmo que a situação fosse inevitável (o amor é cego), se alguém poderia sentar-se em cima do outro, esse alguém era seguramente a mulher de 63 kgs e não um “elefante” de 128 kgs.

Em terceiro lugar, uma mulher que é vítima de agressão continuada, tem de denunciar o monstro que a maltrata, se bem que com a estatura desta, o medo tenha feito a diferença e ditado a lei do mais forte.

Sorte a minha que não casei com uma mulher tão magrinha assim. Sempre fui um homem cuidadoso e os meus quilinhos sempre me deram o alerta nestas situações mais… intimas… Seja como for, a partir de agora serei mais cuidadoso ainda “

Foto da Internet

GOLDFINGER



4 comentários:

Cata-Vento disse...

Realmente acredito que esta diferença de peso e de estatura crie algumas dificuldades , em situações mais íntimas, no dia-a-dia. No entanto, conheço alguns casos em que há esta diferença de pesos e nunca um molestou o outro. Que eu saiba! Amigo, este homem, que durante dois dias deixou a mulher num sofrimento atroz não passa de uma besta que poderá juntar-se a muitas outras neste matagal em que vivemos. Quanto a ti, amiguito, sei que tu sabes que estas coisas não se fazem nem serias capaz de o fazer embora o amor seja cego.
Mil beijinhos

Cata-Vento disse...

Finalmente, o Cata-Vento vem do sul, do mar e da serra. Como fui parar à Cova da Piedade é inexplicável mas tudo ficou resolvido sem a minha intervenção.

Bjinhos mil

Goldfinger disse...

Cata Vento

Esta diferença de peso deixou-me a falar sozinho.
Mas tenho sorte, não há assim tanta diferença de pesos por cá...

Beijinhos

Goldfinger disse...

Ainda me hás-de explicar bem como apareces na Cova da Piedade...


Beijinhos