sábado, 18 de julho de 2009

FORAL DE CAMINHA FAZ 725 ANOS



Comemorações dos 725 anos da Outorga do Foral

A Câmara Municipal de Caminha vai assinalar os 725 anos da Outorga do Foral à Vila de Caminha pelo rei D. Dinis, que se comemora a 24 de Julho, com a promoção de múltiplas actividades de 18 a 26 de Julho.







As comemorações dos 725 anos traduzem mais uma grande aposta que a Câmara Municipal tem vindo a fazer na cultura em geral, na história local e sua divulgação, em particular. A requalificação e valorização da Torre do Relógio e a criação do Núcleo Museológico do Centro Histórico de Caminha são um exemplo vivo da aposta do Município na divulgação da história de Caminha.







Deste modo, as comemorações dos 725 anos do Foral da Outorga do Foral à vila de Caminha arrancam já no próximo sábado, dia 18, com um concerto ao vivo de música folk a cargo do grupo Monte Lunai, junto à Torre do Relógio, às 22 horas. O dia seguinte, 19, vai ser marcado pelo Cortejo Histórico, que vai passar em revista alguns dos factos mais marcantes da história da vila, com destaque, claro está, para a Outorga do foral à Vila de Caminha, por D. Dinis, em 1284. O cortejo terá lugar às 16h30, e percorrerá as principais artérias da Vila.








Estas comemorações culminam com a realização de mais uma edição da Feira Medieval, entre os dias 23 e 26 de Julho. Adiantamos que esta edição vai, com certeza, voltar a surpreender, tendo em conta que no recinto vamos encontrar mais artesãos, mais taberneiros, mais animação e muitas novidades.







O executivo camarário convida-o a participar nas comemorações dos 725 anos da Outorga do Foral.

Câmara Municipal de Caminha







HISTÓRIA

Caminha é uma povoação antiquíssima. Nas imediações existem ainda vestígios de civilizações atribuídas a épocas proto e pré-históricas, como mamoas, dólmen e castros. De resto, toda a região do Noroeste da Península, e muito especialmente a bacia do Minho, ostenta várias edificações do período Megalítico. Mas a cultura dominante e que mais vestígios deixou nesta zona foi, sem dúvida, a Castreja. As casas, quase todas do tipo redondo ou ovalado, denunciam marcas da cultura pré-céltica







Caminha acarinha o turismo, mas privilegia as suas gentes. Ao longo dos anos a qualidade de vida da população tem aumentado. Têm sido melhoradas as condições de vida de todo o concelho, as infra-estruturas urbanísticas, o bem-estar social, a oferta cultural e desportiva, a actividade económica e a educação.







Sendo um concelho rico em termos ambientais, paisagísticos e usufruindo de variados e qualificados recursos naturais, patrimoniais e culturais, Caminha tem testemunhado um intenso crescimento do turismo, principalmente na época balnear. Porém, durante todo o ano, nas festividades e aos fins-de-semana, muitas são as pessoas que escolhem Caminha como destino e, cada vez mais, como local para segunda residência. Bem localizada geograficamente, Caminha encontra-se perto da Galiza, está a uma hora da área Metropolitana do Porto, e permite uma saudável e rápida escapadela da agitação própria das grandes cidades.









As paisagens que se distribuem pelos dois vales, o do Âncora e o do Coura, os rios, as praias, a Serra, o património, a gastronomia, o artesanato…são peças que constituem este verdadeiro “Mosaico de Paisagens”.

Câmara Municipal de Caminha

Comentário:

Lá estarei!

Fotos da Net

GOLDFINGER


3 comentários:

elvira carvalho disse...

Gostei muito do texto. A verdade é que também gosto muito de Caminha.
Estive lá há dois anos.
Uma abraço e bom Domingo

Fatima disse...

A terra da minha mãe......
Abraço

Joaninha disse...

Lá estarei a partir de dia 1 de Agosto.

um abraço